Veja os depoimentos de quem viu a exposição e participou das palestras.

“Essa atitude deve ser passada para frente, para que as pessoas que tem contato com a doença possam se inspirar e passar por essa fase com mais alegria.”
Ruth Oliveira – São Paulo, SP

“Se alguém próximo, ou até mesmo eu, algum dia tiver que lidar com o câncer, irei tentar ficar positiva e continuar acreditando na recuperação.”
Marina Ribeiro

“Mesmo com as dificuldades, a gente sempre tem que batalhar contra as coisas ruins que acontecem, pois nossas atitudes mostram como superamos cada coisa”
Paula Medeiros – São Paulo, SP

"Hoje, durante meu período de monitoria na Exposição DE PEITO ABERTO, senti uma emoção grande e gostaria de compartilhar: um garotinho de 5 anos de idade, o João, encantou-se com as fotos da Exposição. Como ele ainda não sabe ler, pediu para sua irmã, Joyce, de 14 anos ler para ele, o que foi pacientemente atendido por ela. Fiquei observando cada expressão dele e confesso que por pouco não fui as lágrimas... Depois de ver toda a exposição ele me disse: "Vou pedir para a mamãe e para a vovó ver se elas não têm este problema. Se tiverem eu vou cuidar delas com carinho, vou crescer bem rapidinho e fazer igual o marido daquela moça (Alessandra Ziukevicius, cujo marido Cleber fez curso de enfermagem para cuidar da esposa doente) para poder cuidar delas direitinho!". Veja se não é demais... Obrigada por mais essa!" Adriana Gladys dos Reis – São Paulo, SP “Muito emocionado por conhecer outro lado de uma realidade tão triste. No faz pensar no valor da vida.”
Américo Silva – Rio de Janeiro, RJ

“Ir além, se superar, vencer... A vida passa a ser cada vez mais uma grande emoção.”
Monica Galvão – Brasília, DF

“Agradeço a oportunidade que tive de ver a força e a coragem dessas mulheres se expondo para nos alertar.”
Maria Deoclécio Borges – São Paulo, SP

“Parabéns pelo Projeto! Sensível essa exposição. Capaz de passar as dificuldades, sofrimento, dor e superação de quem tem o câncer de mama. Mas, principalmente, incentiva outras pessoas a lutar contra a doença e viver a vida com tudo de bom que ela oferece!”
Ana Maria Oliva – São Paulo, SP

“Fiquei encantada com o misto de tanta beleza com tanta ternura extraídos de um momento de tanta dor. Me mostrou que tudo é possível para quem quer ser feliz.”
Márcia Moreira – Brasília, DF

“Que iniciativa maravilhosa! Sou filha de uma mulher guerreira que está em tratamento e gostaria de que a mesma pudesse sentir o que sinto agora! As fotos retratam histórias de fé e coragem para o portador e sua família. A cura é milagrosa! O momento é de mudança!”
Elizete Gomes – Salvador, BA

“Achei a exposição maravilhosa! Ela está dando muito ânimo para as mulheres que passaram por esse processo, como eu passei. Hoje tenho certeza de que estou curada, tenho o apoio de minha família, não me sinto rejeitada por não ter mais uma parte do meu corpo. Parabéns!”
Rosangela Rodrigues Pereira – Rio de Janeiro, RJ

“Às vezes não percebemos que a doença do próximo é também a minha doença. O importante é ter em mente que a felicidade é a nossa missão de vida. Estou realmente emociona em poder acompanhar um trabalho feito com tanto humanismo.”
Claudia Rodrigues dos Santos – Brasília, DF

“Chorei ao ver o sorriso dessas guerreiras!”
J. A. Vasconcelos – São Paulo, SP

“Incrível a iniciativa de expor de forma tão linda, tão humana, a vida de guerreiras lutadoras e, acima de tudo, vencedoras! Lindo! Lindo! Lindo! Exemplos de vida que devem ser seguidos, sem dúvida. Parabéns!”
Cândida Serafim Teixeira – Rio de Janeiro, RJ

“Coragem, ousadia, força é o que passam as imagens dessa linda exposição. Fica a mensagem de que cada dia, não importa o que o acompanhe, é sempre um novo dia e sempre há escolhas possíveis.”
Inês Rebouças – Salvador, BA

“Maravilhosa exposição! Minha avó foi uma dessas guerreiras e venceu a doença com fé, alegria e todo nosso amor por ela.”
Tatiane Filardo – São Paulo, SP

“Vi a exposição De Peito Aberto aqui em Salvador e passou um filme em minha cabeça. Todo o sofrimento que passei junto com meu pai e meu irmão durante o tratamento de minha mãe... Infelizmente, ela veio a falecer há mãos de 10 dias, mas para essas pessoas que estão na luta, eu digo que não desistam, lutem até o fim e tenham sempre força para vencer essa batalha contra o câncer.”
Artur Santos Coêlho, filho de Nilma Maria Santos Coêlho – Salvado, BA